Questão Brasil nº 87 | 24 de Maio de 2016

Assuntos de Goiás TV

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

terça-feira, 30 de maio de 2017

Grupo de Bandidos explode presídio e destrói casa em Guapó-Goiás | O criador de caso

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), onze presos fugiram e seis se feriram. 

Uma mulher, que estava na casa, também se machucou. Um vídeo mostra ela sendo socorrida por populares.

 
Ainda conforme a SSPAP, foram tomadas "medidas emergenciais para atendimento dos feridos e transferência dos demais presos". 
Policiais militares e civis foram acionados e conseguiram evitar novas fugas no local. 

A PM também está à procura dos detentos que escaparam. Já o Corpo de Bombeiros atua no local para prestar socorro às vítimas. 

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

domingo, 28 de maio de 2017

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

JBS pagou propina a filho de Mantega. Aécio divulga vídeo insultando a inteligência dos brasileiros | O criador de caso

 
 Estamos diante de um outro eixo da investigação da operação Lava Jato, depois das revelações de Marcelo Odebrecht e 77 executivos da empresa, os irmãos Batista da J&F que controla a JBS contaram ao Ministério Público que distribuíram dinheiro aos quatro ventos para agentes públicos e seus familiares. 

Muitos estão no olho do furacão, tendo que dar muitas explicações aos Procuradores e também para a sociedade, como fez Aécio Neves na noite de ontem ao divulgar um vídeo pelas redes sociais em que classifica Joesley como bandido e tenta de forma dissimulada amenizar os crimes a ele atribuídos através das delações.

Assuntos de Goiás: Veja a integra do Depoimento de Lula a Sergio Moro em Curitiba – Eu Digo Sempre


Foram cinco horas de audiência no processo em que Lula é acusado de ter sido favorecido por empreiteira na compra de um apartamento tríplex no Guarujá (SP) e no transporte e armazenamento de presentes recebidos durante seu governo. 
De lá, animado, o ex-presidente foi ao encontro dos milhares de manifestantes que o esperavam desde o início da tarde, em uma praça no centro de Curitiba. 
 "Se não fossem vocês eu não suportaria o que eles estão fazendo comigo", discursou Lula, ao lado da ex-presidente Dilma Rousseff e de vários petistas de alto escalão. 
"Minha relação com vocês é diferente das que os políticos têm com seus eleitores, minha relação com vocês é uma relação de companheiros de projeto de país." 
Alternando bom humor e alguns momentos emocionado, Lula disse que a história mostrará que nunca alguém foi tão massacrado como ele e que se cometer erros quer ser julgado pelo povo, não apenas pela Justiça. 
 "Se um dia eu tiver que mentir pra vocês, prefiro que um ônibus me atropele em qualquer rua deste país", disse, com a voz embargada. 
 Fontes ligadas a Lula disseram que o ex-presidente terminou o dia satisfeito e com o sentimento de ter cumprido sua missão. 
 "Ele saiu com a sensação de que fez o que tinha se proposto a fazer. Pela alegria que senti, estava satisfeito com o que tinha conseguido", disse uma das fontes.
Fonte: Assuntos de Goiás: Depoimento de Lula a Sergio Moro - Veja na integra o que aconteceu em Curitiba

sábado, 27 de maio de 2017

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

Assuntos de Goiás: Veja a integra do Depoimento de Lula a Sergio Moro em Curitiba – Eu Digo Sempre


Foram cinco horas de audiência no processo em que Lula é acusado de ter sido favorecido por empreiteira na compra de um apartamento tríplex no Guarujá (SP) e no transporte e armazenamento de presentes recebidos durante seu governo. 
De lá, animado, o ex-presidente foi ao encontro dos milhares de manifestantes que o esperavam desde o início da tarde, em uma praça no centro de Curitiba. 
 "Se não fossem vocês eu não suportaria o que eles estão fazendo comigo", discursou Lula, ao lado da ex-presidente Dilma Rousseff e de vários petistas de alto escalão. 
"Minha relação com vocês é diferente das que os políticos têm com seus eleitores, minha relação com vocês é uma relação de companheiros de projeto de país." 
Alternando bom humor e alguns momentos emocionado, Lula disse que a história mostrará que nunca alguém foi tão massacrado como ele e que se cometer erros quer ser julgado pelo povo, não apenas pela Justiça. 
 "Se um dia eu tiver que mentir pra vocês, prefiro que um ônibus me atropele em qualquer rua deste país", disse, com a voz embargada. 
 Fontes ligadas a Lula disseram que o ex-presidente terminou o dia satisfeito e com o sentimento de ter cumprido sua missão. 
 "Ele saiu com a sensação de que fez o que tinha se proposto a fazer. Pela alegria que senti, estava satisfeito com o que tinha conseguido", disse uma das fontes.
Fonte: Assuntos de Goiás: Depoimento de Lula a Sergio Moro - Veja na integra o que aconteceu em Curitiba

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

JBS pagou propina a filho de Mantega. Aécio divulga vídeo insultando a inteligência dos brasileiros | O criador de caso

 
 Estamos diante de um outro eixo da investigação da operação Lava Jato, depois das revelações de Marcelo Odebrecht e 77 executivos da empresa, os irmãos Batista da J&F que controla a JBS contaram ao Ministério Público que distribuíram dinheiro aos quatro ventos para agentes públicos e seus familiares. 

Muitos estão no olho do furacão, tendo que dar muitas explicações aos Procuradores e também para a sociedade, como fez Aécio Neves na noite de ontem ao divulgar um vídeo pelas redes sociais em que classifica Joesley como bandido e tenta de forma dissimulada amenizar os crimes a ele atribuídos através das delações.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

JBS pagou propina a filho de Mantega. Aécio divulga vídeo insultando a inteligência dos brasileiros | O criador de caso

 
 Estamos diante de um outro eixo da investigação da operação Lava Jato, depois das revelações de Marcelo Odebrecht e 77 executivos da empresa, os irmãos Batista da J&F que controla a JBS contaram ao Ministério Público que distribuíram dinheiro aos quatro ventos para agentes públicos e seus familiares. 

Muitos estão no olho do furacão, tendo que dar muitas explicações aos Procuradores e também para a sociedade, como fez Aécio Neves na noite de ontem ao divulgar um vídeo pelas redes sociais em que classifica Joesley como bandido e tenta de forma dissimulada amenizar os crimes a ele atribuídos através das delações.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

JBS pagou propina a filho de Mantega. Aécio divulga vídeo insultando a inteligência dos brasileiros | O criador de caso

 
 Estamos diante de um outro eixo da investigação da operação Lava Jato, depois das revelações de Marcelo Odebrecht e 77 executivos da empresa, os irmãos Batista da J&F que controla a JBS contaram ao Ministério Público que distribuíram dinheiro aos quatro ventos para agentes públicos e seus familiares. 

Muitos estão no olho do furacão, tendo que dar muitas explicações aos Procuradores e também para a sociedade, como fez Aécio Neves na noite de ontem ao divulgar um vídeo pelas redes sociais em que classifica Joesley como bandido e tenta de forma dissimulada amenizar os crimes a ele atribuídos através das delações.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

Citado em delação Marconi Perillo tem oportunidade de explicar perdão de R$ 1 bi a Friboi – Politica



Pouca gente tem duvidas que o Governador de Goiás poderá virar um novo Sérgio Cabral após terminar seu mandato. Delações da Odebrecht e agora da JBS colocam o Governador de Goiás cada vez mais suspeito de ser um político corrupto, tanto quanto tem se revelado o Sr Sérgio Cabral. Uma pena para os goianos.
 

Se houver provas, acabou para Dilma: DELAÇÃO DEvastadora de MÔNICA MOURA NA LAVA JATO | Tribuna do Rei


Delação premiada dos marqueteiros João Santana e Monica Moura para lava jato.

Assim como vem ocorrendo com as delações que citam o ex-presidente Lula, agora a lama começa a subir para Dilma Rousseff, a acusadora Mônica Moura fala com segurança e propriedade de ações ilícitas as quais estão envolvidas grandes figuras da República. Marta Suplicy que abandonou o barco petista quando a casa começou a cair, se vê agora bastante enrolada na delação da marqueteira do PT, da mesma forma a Senadora Gleisi Hoffmann com seu belo narizinho arrebitado terá muito o que explicar caso as provas do que afirmou a delatora venham a tona neste mar de lama.
O Brasil se vê as voltas com denuncias graves, enquanto os integrantes do Ministério Público e do Poder Judiciário perdem tempo se atacando mutuamente, numa clara intenção de desviar o foco das acusações que por si só são gravíssimas. Mônica Moura e seu marido João Santana devem ter provas cabais que podem complicar a situação de Lula, Dilma, Gleisi, Marta, Lindberg e... 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Se houver provas, acabou para Dilma: DELAÇÃO DEvastadora de MÔNICA MOURA NA LAVA JATO | Tribuna do Rei


Delação premiada dos marqueteiros João Santana e Monica Moura para lava jato.

Assim como vem ocorrendo com as delações que citam o ex-presidente Lula, agora a lama começa a subir para Dilma Rousseff, a acusadora Mônica Moura fala com segurança e propriedade de ações ilícitas as quais estão envolvidas grandes figuras da República. Marta Suplicy que abandonou o barco petista quando a casa começou a cair, se vê agora bastante enrolada na delação da marqueteira do PT, da mesma forma a Senadora Gleisi Hoffmann com seu belo narizinho arrebitado terá muito o que explicar caso as provas do que afirmou a delatora venham a tona neste mar de lama.
O Brasil se vê as voltas com denuncias graves, enquanto os integrantes do Ministério Público e do Poder Judiciário perdem tempo se atacando mutuamente, numa clara intenção de desviar o foco das acusações que por si só são gravíssimas. Mônica Moura e seu marido João Santana devem ter provas cabais que podem complicar a situação de Lula, Dilma, Gleisi, Marta, Lindberg e... 

domingo, 21 de maio de 2017

Governo Temer corta orçamento da Polícia Federal coloca em alerta Procuradores da Lava Jato | Questão Brasil | Crítica & Opinião

As descobertas da Operação Patmos, deflagrada na quinta-feira, 18, que encurralou o presidente e e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), confirmariam a movimentação. Os dois são investigados por tentativas de obstrução à Lava Jato, comprando o silêncio de investigados, como o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – preso desde outubro de 2016 -, e buscando formas de minar as investigações.  
 
Aécio Neves e Michel Temer estão no olho do furacão e trabalham nos bastidores para acabar com a operação Lava Jato e com ações da PF 

 Temer e Aécio foram delatados pelos donos do Grupo JBS, Joesley e Wesley Batista, que gravaram conversas dos investigados, com acompanhamento da PF e MPF.

Em uma delas, o senador afastado Aécio Neves revela seu empenho em interferir na Polícia Federal. Ele diz em diálogo com Joesley que Temer “errou” ao nomear Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça”.
 
 Fonte: Governo reduz equipe da Lava Jato e corta verba da PF

Se houver provas, acabou para Dilma: DELAÇÃO DEvastadora de MÔNICA MOURA NA LAVA JATO | Tribuna do Rei


Delação premiada dos marqueteiros João Santana e Monica Moura para lava jato.

Assim como vem ocorrendo com as delações que citam o ex-presidente Lula, agora a lama começa a subir para Dilma Rousseff, a acusadora Mônica Moura fala com segurança e propriedade de ações ilícitas as quais estão envolvidas grandes figuras da República. Marta Suplicy que abandonou o barco petista quando a casa começou a cair, se vê agora bastante enrolada na delação da marqueteira do PT, da mesma forma a Senadora Gleisi Hoffmann com seu belo narizinho arrebitado terá muito o que explicar caso as provas do que afirmou a delatora venham a tona neste mar de lama.
O Brasil se vê as voltas com denuncias graves, enquanto os integrantes do Ministério Público e do Poder Judiciário perdem tempo se atacando mutuamente, numa clara intenção de desviar o foco das acusações que por si só são gravíssimas. Mônica Moura e seu marido João Santana devem ter provas cabais que podem complicar a situação de Lula, Dilma, Gleisi, Marta, Lindberg e... 

sábado, 20 de maio de 2017

Se houver provas, acabou para Dilma: DELAÇÃO DEvastadora de MÔNICA MOURA NA LAVA JATO | Tribuna do Rei


Delação premiada dos marqueteiros João Santana e Monica Moura para lava jato.

Assim como vem ocorrendo com as delações que citam o ex-presidente Lula, agora a lama começa a subir para Dilma Rousseff, a acusadora Mônica Moura fala com segurança e propriedade de ações ilícitas as quais estão envolvidas grandes figuras da República. Marta Suplicy que abandonou o barco petista quando a casa começou a cair, se vê agora bastante enrolada na delação da marqueteira do PT, da mesma forma a Senadora Gleisi Hoffmann com seu belo narizinho arrebitado terá muito o que explicar caso as provas do que afirmou a delatora venham a tona neste mar de lama.
O Brasil se vê as voltas com denuncias graves, enquanto os integrantes do Ministério Público e do Poder Judiciário perdem tempo se atacando mutuamente, numa clara intenção de desviar o foco das acusações que por si só são gravíssimas. Mônica Moura e seu marido João Santana devem ter provas cabais que podem complicar a situação de Lula, Dilma, Gleisi, Marta, Lindberg e... 

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

sexta-feira, 19 de maio de 2017

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

quinta-feira, 18 de maio de 2017

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

JBS-Friboi DELATA MICHEL TEMER E AÉCIO NEVES: É o Fim da linha para o Senador Minieiro | Minha Otica Sobre Politica

 

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. 

Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. 

Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação. 

 É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). 

Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. 

Diante da informação, Temer incentivou: 

“Tem que manter isso, viu?”

 Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. 

A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Seguidores